domingo, 23 de outubro de 2016

Hoje é domingo. Mas não pra mim.

A moça morta do quiosque de donuts não tem pressa nenhuma em me servir o pão de batata que será meu café da manhã. Afinal hoje é domingo, ninguém tem pressa, mas hoje não é domingo pra mim.

No metrô os velhinhos se acotovelam temerosos em direção a escada rolante (me disseram que essas pessoas são do tempo em que escadas rolantes engoliam pessoas: a juventude não titubeia).

Uma jovem mãe e seu filho conversam sobre um churrasco de domingo, "mas não é churrasco", "mas você disse que era". Todo mundo faz churrasco no domingo, mas eu não sou todo mundo.

Deixei o homem dormindo na cama, o que se prolonga até a tarde, afinal todos dormem até mais tarde no domingo, levantei da cama antes do meio dia.

Liguei para mamãe, que fazia almoço e as tarefas domésticas, domingo demais.

Encontro um casal de amigos no caminho (caminho de quê?), passeando no sol da tarde de um domingo azul.

Mas não pra mim.

sábado, 22 de outubro de 2016

Ressaca

Vomitar faz bem. Colocar pra fora faz bem, apesar da sujeira.

É preciso se sujar um pouco para se sentir melhor.

Nota:

Minha melhor amiga gosta das bordas dos bolos assados.

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Notas:

Tudo parece um sonho. Todo o fato passado parece obra da minha mente sonolenta e é coberto por uma névoa de anos atrás.

sábado, 15 de outubro de 2016

De Alex:

Al perderte...
Al perderte yo a ti
Tu y yo hemos perdido:Yo por que tú eras
Lo que yo más amaba
Y tú por que yo era
El que te amaba más.

Pero de nosotros dos
Tú pierdes más que yo:
Porque yo podré amar a otros
Como te amaba a ti,
Pero a ti no te amarán
Como te amaba yo.

terça-feira, 4 de outubro de 2016

Redenção

Em resposta a Carlos:
grito a vós, mundo!
Hei de viver
Sim! Viverei!
Viverei ontem
hoje

E ao verme
que jamais roerá
as frias carnes
do meu cadáver
digo:
Viverei também amanhã!

A Neil Perry e seu poeta:
Viverei mesmo o que não for vida
for a living creature I am 

Arrancarei vida e razão
das rochas e dos solos, mortos
neles erguirei a construção de minha hedônica existência

E mais que existir,
resistir
à sombra que uma vez vim a tocar.