terça-feira, 14 de julho de 2015

Mais um dia.
Infelizmente ou felizmente hoje eu acordei.
Acordei de sonhos de mar e flores, onde ele não estava.

(Acontece que em todo o estado de consciência em que me encontro sã, ele está, como um plano de fundo, de forma abstrata, não existe o não pensar nele pois ele é o Sol. O Sol ou brilha pela janela ou escurece o quarto, logo, nota-se sua ausência e presença: o tempo todo)

Eis que durmo: ele é o último pensamento
Eis que sonho: ele, se não está ali, me faz questionar onde encontra-se
Eis que acordo: um balde de água fria no meu corpo quente, continua doendo e eu?

Eu não aguento mais.

Sem comentários:

Enviar um comentário