segunda-feira, 29 de junho de 2015

É assim que a gente vai ficando sozinho
perde pouco a pouco o que nos é prezado.

 O grande amor você perde.

 Os amigos decidem por si, apenas presentes nos momentos que lhe são convenientes.
Você imagina, pequena!, tê-los cativado, confia-lhes tudo
e o carinho se perde no tempo junto com o tropeço que você deu um dia.

 E no meio do luto por tantas coisas, em que nenhum telefonema você recebe
você, agora sim, percebe:
não como pensamos que era ver,
como era ver quando tinhamos o grande amor,
agora ver a verdade, ver de verdade

Ninguém muda por ninguém.
Ninguém faz nada por ninguém.


 "Feliz aniversário!"

Sem comentários:

Enviar um comentário