terça-feira, 11 de novembro de 2014

contei ao meu coração:

ô coração, o quarto é azul, e é?
ô coração, nesse quarto a cama anda, e é?
ô coração, a luz que entra pela frestinha da janela:
ilumina toda a minha vida, ilumina é? uhum
e o menino? pessoal demais coração, você se aguente e não se mete, eu disse.
Se aguentou foi nada, tá lá jogado nos pés da cama, nos pés do menino, e tô. 

Tome tento, rapaz



Sem comentários:

Enviar um comentário